É óbvio que ser um empreendedor digital não é fácil, especialmente pela massificação do mercado. Mas também, há de convir que nem todos esses “empreendedores” vão continuar por muito tempo no mercado, especialmente porque não desempenham um bom trabalho. Então, é a hora de conhecer os 5 pilares do empreendedorismo digital efetivo e crescer no mercado.

O que é Empreendedorismo Digital efetivo?

Antigamente, o alcance dos negócios limitavam-se ao boca-a-boca feito pelos próprios clientes ou através da captura de contatos (muitas vezes não autorizados) para oferecer o produto/serviço. Portanto, é bem lógico entender que a taxa de conversão desses contatos em clientes era extremamente baixa, praticamente nula.

Com o crescimento cada vez mais acelerado da internet, este tornou-se um mercado altamente efetivo para os empreendedores alavancarem os seus negócios. Talvez seu negócio nem seja ligado à internet, mas usá-la para aumentar o alcance a popularidade do mesmo é uma estratégia extremamente inteligente.

Tendo isso em mente, é perceptível que este mercado está crescendo cada vez mais, porque todos querem ampliar seus negócios, e se a internet possibilita isso, então é a ela que recorrerão. Porém, nem todos possuem conhecimentos suficientes para fazerem um bom trabalho com ela.

Como falei na introdução do artigo, eu defini 5 pilares do empreendedorismo digital efetivo que você precisa seguir para alcançar o caminho do sucesso, são eles:

1- Atração

A melhor forma de se atrair um cliente através da internet é solucionar uma dor dele, e isso você/sua empresa podem fazer através da produção de conteúdo de qualidade, seja ele em forma de artigos, vídeos, podcasts, e-books etc.

Produção de conteúdo relevante

Com certeza absoluta, a melhor maneira de produzir conteúdo de qualidade para sua empresa oferecer aos seus clientes é através da criação de um blog. Depois de criado, você precisa ter em mente que é hora de enviar conteúdo de MUITA QUALIDADE – MUITA MESMO – para os seus respectivos leads.

Você precisa ter em mente que este conteúdo que você irá produzir seja útil ao seu público-alvo. Quanto mais engajado for esse público, maiores são as possibilidades de você conseguir realizar uma venda a ele. Trate sobre o seu mercado, os benefícios e malefícios, e as novidades dele.

Otimização do conteúdo produzido

Eu gosto muito de dizer a seguinte frase: um blog sem tráfego, é como uma loja sem clientes. Por MELHOR que seu conteúdo seja, se ele não for visualizado, torna-se INÚTIL. Portanto, otimizar todo ele para que seja visualizado o máximo possível nos canais onde público-alvo está concentrado é ESSENCIAL. Basicamente, existem dois canais principais: os motores de busca e as mídias sociais.

O Google é o motor de busca mais utilizado no mundo e, para muitos, a maior fonte de tráfego dos seus sites. Realmente, ele é muito poderoso e pode trazer um ótimo resultado a longo prazo, mas é necessário saber otimizar o conteúdo para ser bem rankeado nele, e essa otimização se chama SEO (Search Engine Optimization).

Embora os motores de busca estejam cada vez mais sofisticados, eles ainda possuem algumas limitações que fazem com que nós precisemos intervir no processo de indexação dos nossos blogs. Os robots não conseguem visualizar as páginas do jeito que nós, humanos, visualizamos, portanto, é necessário aplicar técnicas de SEO afim de ajudá-los a entenderem melhor o nosso conteúdo.

Já as mídias sociais, estão em ascensão e cada vez mais são uma alternativa de tráfego para seu blog não ser 100% dependente do Google. A otimização para mídias sociais se chama SMO (Social Media Optimization) e, basicamente, tem por objetivo alcançar um número maior de pessoas e interações e, claro, mais tráfego para seu blog.

2- Conversão

Possivelmente, você já ouviu bastante o termo “lead”, ou então, “qualificação de leads” e “gestão de leads”. É um termo bem utilizado no ramo do Marketing Digital, justamente, porque é muito importante.

O que são leads?

Basicamente, o lead é um contato qualificado que se sente atraído pelo seu conteúdo (e-book, whitepaper, serviço) e deixa alguma(s) informação(ões) em troca dele, como nome e/ou email. Ou seja, ele adquiriu algo gratuito disponibilizado por você, em troca de uma informação pessoal dele.

Resumindo: lead é a pessoa que tem potencial para se transformar em cliente.

Por que gerar leads?

Você compraria um produto/serviço de alguém que você não confia e/ou não conhece o trabalho? Tenho certeza que sua resposta foi NÃO, justamente porque a minha também é essa. E a razão de gerar leads é justamente essa, oferecer conteúdo de qualidade de forma gratuita, coletar uma informação importante dele (geralmente o email), fazê-lo confiar no seu trabalho e depois transformá-lo em um potencial cliente.

Como gerar leads?

Várias empresas praticam a compra de listas de e-mails qualificadas, talvez esta estratégia até funcione, desde que o fornecedor das listas realmente as venda segmentadas. Portanto, é necessário saber de quem você está comprando essa(s) lista(s). Porém, eu canso de falar para não comprar listas de emails, realmente eu não recomendo.

A melhor maneira de gerar leads realmente qualificados é através da forma orgânica, aquela em que as pessoas que realmente estiverem interessadas, se cadastram em sua lista por livre e espontânea vontade. Esses leads orgânicos são muito mais propensos a comprarem de você.

Dicas para gerar leads de qualidade

Aproveite os clientes satisfeitos: esta é uma maneira muito forte, porque se você possui clientes satisfeitos e um relacionamento duradouro com eles, basta pedi-los para indicar você ou sua empresa e eles vão fazer isso, principalmente por causa da reciprocidade.

Seu blog pode gerar leads qualificados: isso mesmo, você pode/deve colocar um ou mais formulários de inscrição no blog, afim de fidelizar seus leitores e transformá-los em leads.

Conteúdo de qualidade: não são só os posts do blog que você deve recorrer, criar ebooks, whitepapers, minicursos etc. é uma ótima forma de se gerar leads, basta produzir este conteúdo e criar uma landing page para promovê-los. Em troca do conteúdo, você pede o email da pessoa e você terá um contato que poderá virar um lead.

Enfim, existem várias outras maneiras de se gerar leads qualificados, como standes em eventos do seu ramo de atuação, então, só depende de você.

3- Relacionamento

Depois de ter conseguido gerar seus leads, chegou a hora de investir no relacionamento com esses clientes em potencial para instigá-los e aproximá-los do momento da compra.

Qual a importância do relacionamento?

Como eu já disse, é muito difícil uma pessoa comprar um produto/serviço de quem não conheça, afinal, essa pessoa estará gastando seu precioso dinheiro, então, ela precisa da garantia que esse investimento será seguro e útil.

O relacionamento com os potenciais clientes é extremamente importante, porque é através dele que você irá passar confiança e credibilidade ao seu lead, visando deixá-lo seguro para realizar o ato da compra.

Relacionamento nas mídias sociais

As mídias sociais são uma ferramenta poderosa, que possibilitam as empresas construírem sua própria audiência, estabelecendo um canal direto de relacionamento com o cliente.

O grande segredo é estar onde seu público-alvo está, ou seja, se ele está mais presente no Facebook, é no Facebook que você precisa focar e não no Twitter. Se ele está mais presente no Twitter, é nele em que você deve focar e não no Facebook. E se seu público estiver presente em ambos? Então, você também estará presente em ambos.

O Twitter é uma rede social de atualizações instantâneas, a cada segundo há vários posts novos sendo publicados. Há muitas pessoas conectadas nele, então, torna-se uma ótima ferramenta para divulgar seu conteúdo e gerar leads qualificados.

O Facebook é a rede social mais utilizada em todo mundo, não só em termos de quantidade de usuários como no tempo em que eles ficam conectados na rede, portanto, investir em uma página de fãs é altamente eficaz.

Enfim, você deve focar onde seu público está e traçar estratégias para engajá-lo e transformar essas pessoas em leads.

Relacionamento através do Email Marketing

O email continua sendo o principal meio de comunicação entre a empresa e o público externo. Via email o contato é muito mais próximo e eficaz, porque ao abrir sua mensagem, o lead terá sua atenção voltada completamente para ela.

A forma mais comum para gerar um relacionamento através do Email Marketing são as newsletters, onde o lead se cadastra para receber notícias e artigos do seu blog diretamente em seu email.

Há também os emails promocionais, aqueles voltados exclusivamente para fazer o cliente comprar um determinado produto/serviço. Esses emails precisam ser enviados no momento certo, no momento em que o lead está apto a realizar a compra. Antes, você deve preparar esse lead para comprar, ou seja, há todo um processo a ser realizado desde o topo do funil até o momento final da venda.

Nutrição de leads

A nutrição de leads é o envio de emails automáticos para determinadas categorias de leads, onde você deixa o seu software de Email Marketing fazer todo o trabalho de instigar o lead que ainda não está preparado para a compra.

Nutrir o lead com conteúdo de altíssima qualidade é INCRIVELMENTE eficaz, como eu disse, ele vai passar a confiar em você e no seu trabalho, e isso facilitará DEMAIS o processo de venda. Claro, que quando ele estiver preparado para comprar.

Aprenda a Agregar Valor ao Seu Produto e Fazer o Cliente Pagar Mais clicando aqui.

4- Venda

Só é possível realizar a venda depois de obter um relacionamento aberto e duradouro com seus leads, então, se você já conseguiu isso, chegou a hora H.

Como qualificar Inbound Leads?

Os Inbound Leads são justamente os leads que ainda não vão realizar a compra. Então, é lógico que você precisa preparar esses leads desqualificados para uma venda posterior.

Existe um modelo chamado AIDA (Atenção, Interesse, Desejo e Ação) que consiste na identificação do estado mental do cliente afim de conduzi-lo pelo funil de compra.

Atenção: chamar a atenção das pessoas pode ser feito de várias formas, como anúncios em sites e redes sociais, títulos chamativos nos motores de busca etc. Enfim, chamar a atenção do prospecto é o primeiro passo para a qualificação.

Interesse: agora que você conseguiu chamar a atenção dele, chegou a hora de gerar interesse. A conquista da atenção pode ser feita através dos artigos do blog, da criação de whitepapers e ebooks,webinars. Você precisa fazer essas pessoas ficarem curiosas e quererem saber mais sobre o assunto.

Desejo: transformar o interesse em desejo é peça-chave. Mostre a ele o seu diferencial, os benefícios do seu produto/serviço, quais problemas e dores o seu produto/serviço vai solucionar na vida dele. Enfim, faça-o desejar o que você está vendendo.

Ação: depois de todo esse processo evolutivo, chegou a hora da ação. Utilize um call-to-action do tipo: “Compre Agora”, “Conheça Já”, “Quero Comprar” em sua landing page, elimine qualquer opção que possa fazer o cliente mudar de ideia.

Como abordar os leads já qualificados?

Existem algumas boas dicas para abordar os leads já qualificados através do email, são elas:

  • O assunto do email deve ser atrativo;
  • Seja bem objetivo, nada de enrolação;
  • Gera valor ao seu produto/serviço;
  • Deixe bem claros os benefícios;
  • Tenha um call-to-action eficiente;
  • Seja gentil ao se despedir;

5- Análise dos resultados

Depois de seguir todos esses passos, chegou a hora de mensurar os resultados e analisar tudo que deu e não deu certo.

O que analisar?

É muito importante analisar alguns aspectos da sua landing page, vejamos:

  • Quantidade de visitas;
  • Qual a porcentagem de conversão desta landing page, quantos porcento das visitas se tornaram leads;
  • Quantos porcento desses leads se tornaram clientes;
  • Quantos porcento desses clientes ficaram satisfeitos.

Também é muito importante fazer testes A/B em suas landing pages, analisando diferentes aspectos e vendo quais convertem mais.

  • Cor e posição do call-to-action;
  • Headline (Título descritivo);
  • Textos e frases de descrição;

Enfim, testando é que se descobre o que mais converte para seu público-alvo. Uma das melhores ferramentas para web analytics é o Google Analytics.

Quando analisar?

Há 3 tipos de análise principais: a análise diária, a análise semanal e a análise mensal.

Análise diária: é recomendada para métricas mais simples, como o número de visitas, Leads gerados e desempenho das fontes de tráfego e páginas mais acessadas.

Análise semanal: a análise semanal é importante para analisar as mesmas métricas da análise diária, porém, você precisa descobrir se tudo está saindo como o esperado, se as metas estão caminhando como planejado.

Análise mensal: a análise mensal deve ser bem mais completa, procurando saber o resultado dos testes A/B, o desempenho das palavras-chave, a quantidade de visitas e suas respectivas fontes, taxas de cliques e aberturas dos emails etc.

Conclusão/Recapitulando

Esses são os 5 pilares essenciais para você se tornar um empreendedor digital efetivo, que realmente converta e gere resultados para sua empresa através da internet.

Vamos recapitular quais são:

  • Atração: você deve atrair pessoas até seu blog;
  • Conversão: você deve converter essas pessoas em leads;
  • Relacionamento: você deve criar um relacionamento com esses leads para adquirir a confiança deles;
  • Venda: depois de criar um relacionamento com eles, chegou a hora de realizar a venda;

Análise dos resultados: depois de todo esse processo, chegou a hora de mensurar os resultados e ver o que realmente funciona.
Espero que esse post tenha sido de grande valia para você. Se possível, peço que deixe seu comentário abaixo, com sua opinião, dúvida, crítica ou sugestão.